instalação

MySQL 5.7 senha root gerada automaticamente

Fala pessoal.

Vocês devem ter notado algo diferente quando instalaram o MySQL 5.7 ou 8.0 do zero, seja via yum ou pelos binários que o MySQL disponibiliza. O password do usuário root é gerado automaticamente nestas versões.
Ok, e aonde eu posso encontra-lo ?

Centos
cat /var/log/mysqld.log | grep "A temporary password is generated for" | awk '{print $NF}'
Examplo:

[root@master ~]# cat /var/log/mysqld.log | grep "A temporary password is generated for" | awk '{print $NF}'
a3BGf#TY.pBj

Versão binária
Quando você rodou o comando para inicializar o datadir mysqld --initialize você verá a seguinte mensagem na sua tela:

. . .
2016-01-13T21:05:03.070322Z 1 [Note] A temporary password is generated for root@localhost: vL8n>Hs%kr>s
. . .

Você terá que alterar a senha do usuário no primeiro login. Você pode fazer isso seguindo o passo 2 deste artigo.

É isso aí.
Agora vocês já sabem aonde encontrar a senha do root que foi gerada automaticamente na instalação.

Até a próxima.

MySQL & NoSQL – Memcached Plugin

Muita gente já deve ter ouvido falar nos bancos de dados NoSQL e uma das ferramentas NoSQL muito utilizada é o memcached, no qual adicionamos uma camada de cache entre a aplicação e o banco de dados. Desde a versão 5.6 do MySQL, foi disponibilizado um plugin de integração entre o MySQL e o Memcached. Neste artigo publicado no iMasters eu mostro como instalar e configurar esta integração.

MySQL Fabric – Parte 1 Instalação

MySQL Fabric é uma ferramenta que está inclusa no MySQL Utilities que ajuda a gerenciar servidores MySQL.
Ele funciona basicamente adicionando uma nova camada entre a aplicação e os servidores MySQL, que auxilia no processo de sharding e alta disponibilidade.

Para instalar nosso ambiente com MySQL Fabric, vamos precisar de 4 servidores, eu utilizei os seguintes nomes e IPs:

fabric1 (192.168.0.200) - fabric
mysql1 (192.168.0.201) - mysql master
mysql2 (192.168.0.202) - mysql slave
mysql3 (192.168.0.203) - mysql slave

Obs.: Estou rodando CentOS 6.5 em todos os servidores.

1. Adicione o repositório mysql nos 4 servidores, leia Instalar a versão mais recente do MySQL via yum para mais informações:

rpm -i http://dev.mysql.com/get/mysql-community-release-el6-5.noarch.rpm
yum update

2. Instale os pacotes mysql mysql-server mysql-utilities:

yum install mysql mysql-server mysql-utilities
chkconfig mysqld on
/etc/init.d/mysqld start

3. Nos servidores mysql1,mysql2,mysql3 adicione as seguintes configurações no arquivo my.cnf:

[mysqld]
...
binlog-format=ROW
log-slave-updates=true
gtid-mode=on
enforce-gtid-consistency=true
master-info-repository=TABLE
relay-log-info-repository=TABLE
sync-master-info=1
report-host=192.168.0.201
report-port=3306
server-id=1
log-bin=mysql1-bin.log

4. No servidor mysql1, adicione os usuários para a replicação (um para cada servidor mysql):


GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.0.201 IDENTIFIED BY 'reppwd';
GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.0.202 IDENTIFIED BY 'reppwd';
GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.0.203 IDENTIFIED BY 'reppwd';

[root@mysql1 ~]# mysql -u root -e "GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.0.201 IDENTIFIED BY 'reppwd'; "
[root@mysql1 ~]# mysql -u root -e "GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.0.202 IDENTIFIED BY 'reppwd'; "
[root@mysql1 ~]# mysql -u root -e "GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.0.203 IDENTIFIED BY 'reppwd'; "

5. No servidor mysql1 adicione o usuário MySQL para o servidor fabric:


GRANT ALL ON *.* TO 'replication'@'192.168.0.200' IDENTIFIED BY 'reppwd';

[root@mysql1 ~]# mysql -u root -e "GRANT ALL ON *.* TO 'replication'@'192.168.0.200' IDENTIFIED BY 'reppwd';"

6. Nos servidores mysql2 and mysql3, configure a replicação:

CHANGE MASTER TO MASTER_HOST='192.168.0.201', MASTER_USER='replication', MASTER_PASSWORD='reppwd', MASTER_AUTO_POSITION=1;
START SLAVE;

7. No servidor fabric1 adicione o usuário fabric no MySQL:


GRANT ALL ON fabric.* TO 'fabric'@'localhost' IDENTIFIED BY 'fabricpwd';

[root@fabric1 ~]# mysql -u root -e "GRANT ALL ON fabric.* TO 'fabric'@'localhost' IDENTIFIED BY 'fabricpwd';"

8. No servidor fabric1, configure o usuário e password no grupos [storage] and [servers] no arquivo /etc/mysql/fabric.cfg :

[storage]
...
password = fabricpwd
...
[servers]
password = reppwd
user = replication

9. No servidor fabric1, configure o banco de dados que será utilizado pelo MySQL Fabric, será perguntado para configurar uma senha, esta senha será utilizada nas próximas vezes que utilizarmos o mysqlfabric:


mysqlfabric manage setup

[root@fabric1 ~]# mysqlfabric manage setup
[INFO] 1406131468.176740 - MainThread - Initializing persister: user (fabric), server (localhost:3306), database (fabric).
Finishing initial setup
=======================
Password for admin user is not yet set.
Password for admin/xmlrpc: 
Repeat Password:
Password set.

10. No servidor fabric1, inicie o fabric:


mysqlfabric manage start &

11. No servidor fabric1, adicione um grupo:

mysqlfabric group create GLOBAL1

[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group create GLOBAL1
Password for admin: 
Procedure :
{ uuid        = 5e4a6bdb-60f0-4e34-87ba-4c56b7616b35,
  finished    = True,
  success     = True,
  return      = True,
  activities  = 
}

12. No servidor fabric1, adicione mysql1, mysql2 e mysql3 ao grupo GLOBAL1:


mysqlfabric group add GLOBAL1 192.168.0.201
mysqlfabric group add GLOBAL1 192.168.0.202
mysqlfabric group add GLOBAL1 192.168.0.203

[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group add GLOBAL1 192.168.0.201
Password for admin: 
Procedure :
{ uuid        = 39efb9c4-6195-4c41-aa02-0bfdc228bfe2,
  finished    = True,
  success     = True,
  return      = True,
  activities  = 
}
[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group add GLOBAL1 192.168.0.202
Password for admin: 
Procedure :
{ uuid        = c8babfb9-d836-44c0-b4fd-015cd1df8298,
  finished    = True,
  success     = True,
  return      = True,
  activities  = 
}
[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group add GLOBAL1 192.168.0.203
Password for admin: 
Procedure :
{ uuid        = c86bba70-69ac-4923-9c54-1a8aaab6d97e,
  finished    = True,
  success     = True,
  return      = True,
  activities  = 
}

13. No servidor fabric1, pegue o uuid do servidor master:

mysqlfabric group lookup_servers GLOBAL1

[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group lookup_servers GLOBAL1
Password for admin: 
Command :
{ success     = True
  return      = [{'status': 'SECONDARY', 'server_uuid': '2e157d1e-1281-11e4-80dc-080027aa0242', 'mode': 'READ_ONLY', 'weight': 1.0, 'address': '192.168.0.201'}, {'status': 'SECONDARY', 'server_uuid': '41d85bee-1281-11e4-80dc-080027e87bc6', 'mode': 'READ_ONLY', 'weight': 1.0, 'address': '192.168.0.202'}, {'status': 'SECONDARY', 'server_uuid': '472734d8-1281-11e4-80dc-0800274a710c', 'mode': 'READ_ONLY', 'weight': 1.0, 'address': '192.168.0.203'}]
  activities  = 
}

14. No servidor fabric1, adicione o seu master como master do grupo GLOBAL1:

mysqlfabric group promote GLOBAL1 --slave_id='2e157d1e-1281-11e4-80dc-080027aa0242'

[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group promote GLOBAL1 --slave_id='2e157d1e-1281-11e4-80dc-080027aa0242'
Password for admin: 
[WARNING] 1406131951.712366 - Executor-2 - Error () trying to process transactions in the relay log for candidate (('Command (START SLAVE SQL_THREAD, ()) failed: 1200 (HY000): The server is not configured as slave; fix in config file or with CHANGE MASTER TO', 1200)).
[INFO] 1406131951.824763 - Executor-2 - Master has changed from None to 2e157d1e-1281-11e4-80dc-080027aa0242.
Procedure :
{ uuid        = 733ae69d-fb12-447b-b86b-041703491315,
  finished    = True,
  success     = True,
  return      = True,
  activities  = 
}
[root@fabric1 ~]# mysqlfabric group lookup_servers GLOBAL1
Password for admin: 
Command :
{ success     = True
  return      = [{'status': 'PRIMARY', 'server_uuid': '2e157d1e-1281-11e4-80dc-080027aa0242', 'mode': 'READ_WRITE', 'weight': 1.0, 'address': '192.168.0.201'}, {'status': 'SECONDARY', 'server_uuid': '41d85bee-1281-11e4-80dc-080027e87bc6', 'mode': 'READ_ONLY', 'weight': 1.0, 'address': '192.168.0.202'}, {'status': 'SECONDARY', 'server_uuid': '472734d8-1281-11e4-80dc-0800274a710c', 'mode': 'READ_ONLY', 'weight': 1.0, 'address': '192.168.0.203'}]
  activities  = 
}
[root@fabric1 ~]# 

Agora temos nosso ambiente MySQL Fabric funcionando .
Não perca os próximos post para aprender mais sobre essa nova ferramenta.

MySQL Sandbox

Hoje vamos falar sobre uma excelente ferramenta que todo DBA MySQL precisa ter em mãos, estou falando do MySQL Sandbox.

MySQL Sandbox é desenvolvido por Giuseppe Maxia (The Data Charmer), esta ferramenta auxilia na instalação de servidores para testes. Se você precisa testar algum bug, algum caso especifico relacionado a replicação(suporta master/slave e master/master) esta é a ferramenta que tens que conhecer.

INSTALAÇÃO:

Vá até http://mysqlsandbox.net/ e baixe a versao mais atual (Pode ser via launchpad):

yum install perl perl-ExtUtils-MakeMaker perl-Test-Simple
wget https://launchpad.net/mysql-sandbox/mysql-sandbox-3/mysql-sandbox-3/+download/MySQL-Sandbox-3.0.44.tar.gz
tar -zxvf MySQL-Sandbox-3.0.44.tar.gz
cd MySQL-Sandbox-3.0.44
perl Makefile.PL
make
make test
make install

CRIANDO UMA INSTÂNCIA:

Para criar uma única instância, tudo o que precisamos é o pacote (tar.gz .rpm .deb) da versão do MySQL que desejamos instalar e o comando make_sandbox:

[root@localhost ~]# make_sandbox mysql-5.6.17-linux-glibc2.5-i686.tar.gz 
unpacking /root/mysql-5.6.17-linux-glibc2.5-i686.tar.gz
Executing low_level_make_sandbox --basedir=/root/5.6.17 \
	--sandbox_directory=msb_5_6_17 \
	--install_version=5.6 \
	--sandbox_port=5617 \
	--no_ver_after_name \
	--my_clause=log-error=msandbox.err
    The MySQL Sandbox,  version 3.0.44
    (C) 2006-2013 Giuseppe Maxia
installing with the following parameters:
upper_directory                = /root/sandboxes
sandbox_directory              = msb_5_6_17
sandbox_port                   = 5617
check_port                     = 
no_check_port                  = 
datadir_from                   = script
install_version                = 5.6
basedir                        = /root/5.6.17
tmpdir                         = 
my_file                        = 
operating_system_user          = root
db_user                        = msandbox
remote_access                  = 127.%
bind_address                   = 127.0.0.1
ro_user                        = msandbox_ro
rw_user                        = msandbox_rw
repl_user                      = rsandbox
db_password                    = msandbox
repl_password                  = rsandbox
my_clause                      = log-error=msandbox.err
master                         = 
slaveof                        = 
high_performance               = 
prompt_prefix                  = mysql
prompt_body                    =  [\h] {\u} (\d) > 
force                          = 
no_ver_after_name              = 1
verbose                        = 
load_grants                    = 1
no_load_grants                 = 
no_run                         = 
no_show                        = 
do you agree? ([Y],n) 
loading grants
.. sandbox server started
Your sandbox server was installed in $HOME/sandboxes/msb_5_6_17

Para usarmos esta instância, podemos chamar o script use que se encontra dentro da pasta que o MySQL Sandbox acabou de criar.

[root@localhost ~]# $HOME/sandboxes/msb_5_6_17/use
Welcome to the MySQL monitor.  Commands end with ; or \g.
Your MySQL connection id is 3
Server version: 5.6.17 MySQL Community Server (GPL)

Copyright (c) 2000, 2014, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved.

Oracle is a registered trademark of Oracle Corporation and/or its
affiliates. Other names may be trademarks of their respective
owners.

Type 'help;' or '\h' for help. Type '\c' to clear the current input statement.

mysql [localhost] {msandbox} ((none)) > 

Podemos gerenciar esta instância usando os scripts start / stop / restart / status, que também se encontram dentro da pasta criada.

CRIANDO REPLICAÇÃO MASTER SLAVE:

Para criar um conjunto de instâncias configuradas como master / slave (padrão: 1 master e 2 slaves, mas podemos alterar este comportamento passando o parâmetro --how_many_nodes ) vamos utilizar o comando make_replication_sandbox:

[root@localhost ~]# make_replication_sandbox mysql-5.6.17-linux-glibc2.5-i686.tar.gz 
installing and starting master
installing slave 1
installing slave 2
starting slave 1
.... sandbox server started
starting slave 2
.. sandbox server started
initializing slave 1
initializing slave 2
replication directory installed in $HOME/sandboxes/rsandbox_mysql-5_6_17

Para usar as instâncias criadas, podemos utilizar o script use que está localizado dentro das pastas nodeN (onde N é o numero da instância) e master:

[root@localhost ~]# #MASTER
[root@localhost ~]# /root/sandboxes/rsandbox_mysql-5_6_17/master/use 
Welcome to the MySQL monitor.  Commands end with ; or \g.
Your MySQL connection id is 7
Server version: 5.6.17-log MySQL Community Server (GPL)

Copyright (c) 2000, 2014, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved.

Oracle is a registered trademark of Oracle Corporation and/or its
affiliates. Other names may be trademarks of their respective
owners.

Type 'help;' or '\h' for help. Type '\c' to clear the current input statement.

master [localhost] {msandbox} ((none)) > ^DBye
[root@localhost ~]# #SLAVE 1
[root@localhost ~]# /root/sandboxes/rsandbox_mysql-5_6_17/node1/use 
Welcome to the MySQL monitor.  Commands end with ; or \g.
Your MySQL connection id is 5
Server version: 5.6.17-log MySQL Community Server (GPL)

Copyright (c) 2000, 2014, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved.

Oracle is a registered trademark of Oracle Corporation and/or its
affiliates. Other names may be trademarks of their respective
owners.

Type 'help;' or '\h' for help. Type '\c' to clear the current input statement.

slave1 [localhost] {msandbox} ((none)) > ^DBye
[root@localhost ~]# #SLAVE 2
[root@localhost ~]# /root/sandboxes/rsandbox_mysql-5_6_17/node2/use 
Welcome to the MySQL monitor.  Commands end with ; or \g.
Your MySQL connection id is 5
Server version: 5.6.17-log MySQL Community Server (GPL)

Copyright (c) 2000, 2014, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved.

Oracle is a registered trademark of Oracle Corporation and/or its
affiliates. Other names may be trademarks of their respective
owners.

Type 'help;' or '\h' for help. Type '\c' to clear the current input statement.

slave2 [localhost] {msandbox} ((none)) > 

Para instâncias configuradas como replicação, podemos gerenciar cada uma delas também chamando o script start / stop / restart / status que está dentro das pastas master/nodeN ou podemos chamar os scripts terminados com _all (start_all / stop_all / restart_all / status_all) que se encontram na pasta raiz da sandbox criada.

CRIANDO REPLICAÇÃO MULTI MASTER :

Para criarmos instâncias configuradas como multi-master’s, vamos utilizar o comando make_replication_sandbox com a opção --master_master:

[root@localhost ~]# make_replication_sandbox --master_master mysql-5.6.17-linux-glibc2.5-i686.tar.gz
installing node 1
installing node 2
# server: 1: 
# server: 2: 
# server: 1: 
# server: 2: 
Circular replication activated
group directory installed in $HOME/sandboxes/rcsandbox_mysql-5_6_17

É isso aí pessoal, podemos achar mais informações usando o parâmetro –help nos comandos make_multiple_custom_sandbox make_multiple_sandbox make_replication_sandbox make_sandbox make_sandbox_from_installed and make_sandbox_from_source.

Instalar a versão mais recente do MySQL via yum

Normalmente quando instalamos o MySQL via yum, a versão que vem por padrão nos repositórios do SO são versões antigas(por antigas, leia, não a ultima versão disponível em mysql.com/downloads).
Para ter a ultima versão instalada, sempre temos que ir em mysql.com/downloads, baixar e instalar os pacotes manualmente, certo? Errado, MySQL lançou recentemente seu Repositório YUM.
Basicamente, este repositório lhe permite instalar as ultimas versões GA(General Available) do MySQL Community Server, Workbench e Connector/ODBC.

COMO INSTALAR ?
Temos 2 opções para adicionar este repositório:

1. Usando os pacotes RPM
Baixe o .rpm para a sua versão de SO em dev.mysql.com/downloads/repo/ e instale:

wget http://dev.mysql.com/get/mysql-community-release-el6-3.noarch.rpm/from/http://repo.mysql.com/
sudo yum localinstall -y mysql-community-release-el6-3.noarch.rpm

2. Adicionando um arquivo manualmente na pasta /etc/yum.repos.d/
Adicione o conteúdo abaixo em um arquivo chamado mysql-community.repo:

[mysql-community]
name=MySQL Community Server 
baseurl=URL
enabled=1
gpgcheck=1
gpgkey=file:///etc/pki/rpm-gpg/RPM-GPG-KEY-mysql

Substitua a linha contendo baseurl=URL de acordo com seu SO:
EL6 (Centos6 / Redhat 6):

baseurl=http://repo.mysql.com/yum/mysql-community/el/6/$basearch/

Fedore 18 and 19:

baseurl=http://repo.mysql.com/yum/mysql-community/fc/$releasever/$basearch/

Note que temos o parâmetro gpgcheck=1, se este parâmetro estive configurado como 1, devemos adicionar as chamadas GnuPG key’s (veja http://dev.mysql.com/doc/refman/5.6/en/checking-gpg-signature.html para mais detalhes).

INSTALANDO OS PACOTES:
Agora que temos o repositório ativado, vamos usar os comandos normais do yum para instalar a ultima versão do MySQL Community Server:

yum install mysql-server

LISTANDO OS PACOTES DISPONÍVEIS:
Para listar os pacotes disponíveis no repositório, use o comando abaixo:

sudo yum --disablerepo=\* --enablerepo=mysql-community list available
Loaded plugins: fastestmirror
Loading mirror speeds from cached hostfile
Available Packages
mysql-community-client.x86_64                                                                                                                                     5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-common.i686                                                                                                                                       5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-common.x86_64                                                                                                                                     5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-devel.i686                                                                                                                                        5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-devel.x86_64                                                                                                                                      5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-embedded.i686                                                                                                                                     5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-embedded.x86_64                                                                                                                                   5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-embedded-devel.i686                                                                                                                               5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-embedded-devel.x86_64                                                                                                                             5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-libs.i686                                                                                                                                         5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-libs.x86_64                                                                                                                                       5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-libs-compat.i686                                                                                                                                  5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-libs-compat.x86_64                                                                                                                                5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-server.x86_64                                                                                                                                     5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-community-test.x86_64                                                                                                                                       5.6.14-3.el6                                                                                                                              mysql-community
mysql-connector-odbc.x86_64                                                                                                                                       5.2.6-1.el6                                                                                                                               mysql-community
mysql-workbench-community.x86_64                                                                                                                                  6.0.7-4.el6                                                                                                                               mysql-community

Lembre de testar, testar e testar antes de alterar alguma coisa em produção 🙂

Auditando MySQL Com Mcafee Audit Plugin

mysql-audit

Auditar o MySQL com as funcionalidades padrão, não é uma tarefa fácil, pode se tentar algumas tecnicas utilizando tcpdump, escrever algum script baseado no general log (log geral), utilizar o MySQL proxy, ou pode se utilizar algum plugin designado a isso (como por exemplo Mcafee MySQL Audit Plugin ou MySQL Enterprise Audit Log Plugin) .

Neste poste vou abortar o Mcafee MySQL Audit Plugin (https://github.com/mcafee/mysql-audit), em um proximo post abortarei o MySQL Enterprise Audit Log Plugin.

A instalação é simples, requere apenas alguns passos, estou utilizando o MySQL 5.5 32 bits, então vou baixar a versão do plugin 32 bits para MySQL 5.5 em https://github.com/mcafee/mysql-audit/downloads

[root@mysql-audit marcelo]# wget https://github.com/downloads/mcafee/mysql-audit/audit-plugin-mysql-5.5-1.0.3-371-linux-i386.zip
[root@mysql-audit marcelo]# unzip audit-plugin-mysql-5.5-1.0.3-371-linux-i386.zip
Archive:  audit-plugin-mysql-5.5-1.0.3-371-linux-i386.zip
   creating: audit-plugin-mysql-5.5/
   creating: audit-plugin-mysql-5.5/lib/
  inflating: audit-plugin-mysql-5.5/lib/libaudit_plugin.so  
  inflating: audit-plugin-mysql-5.5/COPYING  
  inflating: audit-plugin-mysql-5.5/THIRDPARTY.txt  
  inflating: audit-plugin-mysql-5.5/README.txt

Proximo passo é copiar o arquivo libaudit_plugin.so para o plugin dir do MySQL:

mysql [localhost] {msandbox} ((none)) > SHOW VARIABLES LIKE 'plugin_dir';
+---------------+---------------------------------+
| Variable_name | Value                           |
+---------------+---------------------------------+
| plugin_dir    | /var/marcelo/5.5.33/lib/plugin/ |
+---------------+---------------------------------+
1 row in set (0.00 sec)

mysql [localhost] {msandbox} ((none)) > quit
Bye
[root@mysql-audit audit-plugin-mysql-5.5]# cp lib/libaudit_plugin.so /var/marcelo/5.5.33/lib/plugin/

Para que o plugin funcione, o Mcafee MySQL Audit Plugin precisa de alguns offsets do MySQL server, alguns já estão inclusos no código fonte, e outros não, precisamos extrair alguns offsets (veja https://github.com/mcafee/mysql-audit/wiki/Troubleshooting para mais informações).
Vamos precisar do GBD para extrair os offsets, o pacote pode ser obtido via yum install gdb or apt-get install gdb

[root@mysql-audit marcelo]# wget https://raw.github.com/mcafee/mysql-audit/v1.0.3/offset-extract/offset-extract.sh
[root@mysql-audit marcelo]# ./offset-extract.sh 5.5.33/bin/mysqld
//offsets for: 5.5.33/bin/mysqld (5.5.33)
{"5.5.33","3172729c5bf6e81c8d87fe26fe248204", 3816, 3844, 2368, 2700, 44, 1656},

Agora, vamos fazer algumas alterações no arquivo .cnf(my.cnf) para ativar o plugin:

# Adicione dentro da sessão [mysqld] 
plugin-load=AUDIT=libaudit_plugin.so
audit_offsets=3816, 3844, 2368, 2700, 44, 1656
audit_json_file=1

Agora o que precisamos fazer é apenas reinicar o serviço do MySQL, por padrão, um arquivo chamado mysql-audit.json é criado dentro do datadir do MySQL, basta agora tu extrair a informação que achares relevante, veja abaixo alguns exemplos:

Tentativas de conexão não bem sucedias:

[root@mysql-audit data]# cat mysql-audit.json | grep '\"cmd\":\"Failed Login\"'
{"msg-type":"activity","date":"1381764013653","thread-id":"65","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"","ip":"10.10.2.68","cmd":"Failed Login","query":"Failed Login"}
{"msg-type":"activity","date":"1381764016225","thread-id":"66","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"","ip":"10.10.2.68","cmd":"Failed Login","query":"Failed Login"}
{"msg-type":"activity","date":"1381764026005","thread-id":"67","query-id":"0","user":"root","priv_user":"","ip":"10.10.2.68","cmd":"Failed Login","query":"Failed Login"}

Tentativas de conexão bem sucedias:

[root@mysql-audit data]# cat mysql-audit.json | grep '\"cmd\":\"Connect\"'
{"msg-type":"activity","date":"1381763915626","thread-id":"60","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"Connect","query":"Connect"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763915626","thread-id":"61","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"Connect","query":"Connect"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763915626","thread-id":"62","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"Connect","query":"Connect"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763916006","thread-id":"64","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"Connect","query":"Connect"}

Todas as atividades de um host especifico:

[root@mysql-audit data]# cat mysql-audit.json | grep '\"ip\":\"10.10.2.68\"'
{"msg-type":"activity","date":"1381763919836","thread-id":"60","query-id":"4798","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"select","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"SELECT SUM(K) FROM sbtest8 WHERE id BETWEEN 151257 AND 151257+99"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763919844","thread-id":"62","query-id":"4799","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"select","objects":[{"db":"test","name":"sbtest6","obj_type":"TABLE"}],"query":"SELECT c FROM sbtest6 WHERE id BETWEEN 141568 AND 141568+99 ORDER BY c"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763919847","thread-id":"47","query-id":"4800","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"update","objects":[{"db":"test","name":"sbtest3","obj_type":"TABLE"}],"query":"UPDATE sbtest3 SET k=k+1 WHERE id=150189"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763919848","thread-id":"60","query-id":"4801","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"select","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"SELECT c FROM sbtest8 WHERE id BETWEEN 175916 AND 175916+99 ORDER BY c"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763919869","thread-id":"64","query-id":"4803","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"select","objects":[{"db":"test","name":"sbtest10","obj_type":"TABLE"}],"query":"SELECT DISTINCT c FROM sbtest10 WHERE id BETWEEN 132850 AND 132850+99 ORDER BY c"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763919881","thread-id":"57","query-id":"4784","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"commit","query":"COMMIT"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763919930","thread-id":"37","query-id":"4802","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"commit","query":"COMMIT"}
{"msg-type":"activity","date":"1381764013653","thread-id":"65","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"","ip":"10.10.2.68","cmd":"Failed Login","query":"Failed Login"}
{"msg-type":"activity","date":"1381764016225","thread-id":"66","query-id":"0","user":"msandbox","priv_user":"","ip":"10.10.2.68","cmd":"Failed Login","query":"Failed Login"}
{"msg-type":"activity","date":"1381764026005","thread-id":"67","query-id":"0","user":"root","priv_user":"","ip":"10.10.2.68","cmd":"Failed Login","query":"Failed Login"}

Todos os comandos DELETE em uma especifica tabela(sbtest8) de um especifico host:

[root@mysql-audit data]# cat mysql-audit.json | grep -i '\"cmd\":\"delete\"' | grep -i '\"name\":\"sbtest8\"' | grep '\"ip\":\"10.10.2.68\"'
{"msg-type":"activity","date":"1381763914163","thread-id":"53","query-id":"3366","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"delete","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"DELETE FROM sbtest8 WHERE id=150652"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763914947","thread-id":"44","query-id":"3513","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"delete","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"DELETE FROM sbtest8 WHERE id=194099"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763915718","thread-id":"36","query-id":"3630","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"delete","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"DELETE FROM sbtest8 WHERE id=151405"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763916273","thread-id":"48","query-id":"3799","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"delete","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"DELETE FROM sbtest8 WHERE id=148546"}
{"msg-type":"activity","date":"1381763918698","thread-id":"40","query-id":"4437","user":"msandbox","priv_user":"msandbox","ip":"10.10.2.68","cmd":"delete","objects":[{"db":"test","name":"sbtest8","obj_type":"TABLE"}],"query":"DELETE FROM sbtest8 WHERE id=149492"}

Como pode ver, tu pode extrair e ajustar o log para se enquadrar as tuas necessidades, tu pode também adicionar algumas configurações ao plugin para mudar um pouco o seu comportamento (https://github.com/mcafee/mysql-audit/wiki/Configuration para mais informações) :

audit_record_cmds – lista de comandos que deseja gravar no log, por exemplo, se tu deseja gravar apenas tentativas de conexão configure esta opção como: audit_record_cmds=”Failed Login,Connect”
audit_record_objs – lista de banco de dados/tabelas que deseja gravar no log, por exemplo, se tu deseja gravar apenas atividades no banco de dados test, configure esta opcao como: audit_record_objs=”test.*” , se tu deseja gravar apenas atividades nas tabelas sbtest1 e sbtest2 do banco de dados chamado test, configure esta opção como: audit_record_objs=”test.sbtest1,test.sbtest2″

É isso ai, use sua imaginação e comece a auditar o seu MySQL.

MySQL 5.6 replicação com GTID – Global Transaction ID

Fala galera, No inicio deste mês, a Oracle lançou a nova versão do MySQL, a versão 5.6, uma das melhorias foi a introdução do GTID (ID de transação Global).

GTID é um identificador único que sera adicionado a cada transação executada no servidor, e vai ter grande utilidade para o slave, garantindo que mais de uma thread nao execute a mesma transação e também auxiliar quanto a posição que o slave busca e executa dados do master (previamente tínhamos que setar MASTER_LOG_FILE e MASTER_LOG_POS quando iniciavamos o slave).

Vamos intender algumas novas configuracoes que teremos que adicionar no nosso arquivo de configuracao:

gtid-mode : vai habilitar GTID, temos que habilitar log-bin e log-slave-updates para esta opcao funcionar
enforce-gtid-consistency : vai garantir que somente comandos que podem ser replicados sejam executados (mais informações aqui)

Basicamente o que precisamos é isso, para este tutorial vou usar 2 maquinas virtuas black(master – 192.168.1.110), white (slave – 192.168.1.111), meu arquivo de configuração segue abaixo:

black.cnf

[mysqld]
...
binlog-format=MIXED
log-bin
log-slave-updates=true
gtid-mode=on 
enforce-gtid-consistency=true 
master-info-repository=TABLE
relay-log-info-repository=TABLE
sync-master-info=1
binlog-checksum=CRC32
master-verify-checksum=1
server-id=1
report-host=black

white.cnf

[mysqld]
...
binlog-format=MIXED
log-slave-updates=true
log-bin
gtid-mode=on 
enforce-gtid-consistency=true 
master-info-repository=TABLE
relay-log-info-repository=TABLE
sync-master-info=1
slave-parallel-workers=2
binlog-checksum=CRC32
master-verify-checksum=1
slave-sql-verify-checksum=1
binlog-rows-query-log_events=1
server-id=2
report-host=white

Próximo passo é criar o usuário de replicação no master (black)

GRANT REPLICATION SLAVE ON *.* TO replication@192.168.1.111 IDENTIFIED BY 'reppwd';
FLUSH PRIVILEGES;

Caso o seu servidor contenha dados, voce pode seguir este post para criar um backup do seu master, note que agora quando rodamos o comando SHOW MASTER STATUS; temos uma coluna chamada Executed_Gtid_Set.

Caso seja o caso, restore o backup no slave.

Vamos então, iniciar a replicação, o bacana é que antes tínhamos que indicar o arquivo binário e a posição, veja como fica simples agora com GTID:

CHANGE MASTER TO MASTER_HOST='192.168.1.110', MASTER_USER='replication', MASTER_PASSWORD='reppwd', MASTER_AUTO_POSITION=1;
START SLAVE;

pronto, neste momento você já deve ter sua replicação com GTID funcionando, vamos conferir com o comando abaixo:

white>show slave status\G
*************************** 1. row ***************************
               Slave_IO_State: Waiting for master to send event
                  Master_Host: 192.168.1.110
                  Master_User: replication
                  Master_Port: 3306
                Connect_Retry: 60
              Master_Log_File: black-bin.000002
          Read_Master_Log_Pos: 936
               Relay_Log_File: white-relay-bin.000003
                Relay_Log_Pos: 1146
        Relay_Master_Log_File: black-bin.000002
             Slave_IO_Running: Yes
            Slave_SQL_Running: Yes
              Replicate_Do_DB: 
          Replicate_Ignore_DB: 
           Replicate_Do_Table: 
       Replicate_Ignore_Table: 
      Replicate_Wild_Do_Table: 
  Replicate_Wild_Ignore_Table: 
                   Last_Errno: 0
                   Last_Error: 
                 Skip_Counter: 0
          Exec_Master_Log_Pos: 936
              Relay_Log_Space: 1560
              Until_Condition: None
               Until_Log_File: 
                Until_Log_Pos: 0
           Master_SSL_Allowed: No
           Master_SSL_CA_File: 
           Master_SSL_CA_Path: 
              Master_SSL_Cert: 
            Master_SSL_Cipher: 
               Master_SSL_Key: 
        Seconds_Behind_Master: 0
Master_SSL_Verify_Server_Cert: No
                Last_IO_Errno: 0
                Last_IO_Error: 
               Last_SQL_Errno: 0
               Last_SQL_Error: 
  Replicate_Ignore_Server_Ids: 
             Master_Server_Id: 1
                  Master_UUID: 2671c08b-7cf0-11e2-ac39-00163ebee7c2
             Master_Info_File: mysql.slave_master_info
                    SQL_Delay: 0
          SQL_Remaining_Delay: NULL
      Slave_SQL_Running_State: Slave has read all relay log; waiting for the slave I/O thread to update it
           Master_Retry_Count: 86400
                  Master_Bind: 
      Last_IO_Error_Timestamp: 
     Last_SQL_Error_Timestamp: 
               Master_SSL_Crl: 
           Master_SSL_Crlpath: 
           Retrieved_Gtid_Set: 2671c08b-7cf0-11e2-ac39-00163ebee7c2:1-4
            Executed_Gtid_Set: 2671c08b-7cf0-11e2-ac39-00163ebee7c2:1-4
                Auto_Position: 1
1 row in set (0.00 sec)

Os campos Retrieved_Gtid_Set e Executed_Gtid_Set mostram a transação lida do master, e a transação executada no slave.
Para conferir se a replicação esta funcionando, vamos digitar no master:

black> CREATE DATABASE gtid_test;
Query OK, 1 row affected (0.00 sec)

black> use gtid_test;
Database changed
black> CREATE TABLE test (id INT NOT NULL PRIMARY KEY);
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)

black> INSERT INTO test (id) VALUES (1), (2), (3), (4), (5);
Query OK, 5 rows affected (0.00 sec)
Records: 5  Duplicates: 0  Warnings: 0

black> 

e agora, vamos conferir se estes registros estao no slave:

white> USE gtid_test;
Database changed
white> SELECT * FROM test;
+----+
| id |
+----+
|  1 |
|  2 |
|  3 |
|  4 |
|  5 |
+----+
5 rows in set (0.00 sec)

white>

Isso aew, temos nossa replicacao rodando com Global Transaction ID

Instalando MySQL 5.5 Parte 2 – Multiplas instancias com mysqld_multi

Dando continuidade ao nosso post anterior, hoje vamos subir varias instâncias do MySQL em um mesmo servidor, pratica muito comum hoje em dia, ao invés de criar uma única instância com 100% dos recursos do servidor, se divide a carga de QPS (querys por segundo) entre várias instâncias.
O mysqld_multi irá procurar por grupos [mysqldN] dentro do nosso arquivo de configurações my.cnf, onde N é um numero inteiro que será utilizado posteriormente para referenciarmos qual servidor vamos dar START STOP ou visualizar o REPORT

  1. Já temos a seguinte estrutura em nosso servidor:
    |_3306/
      |_data/
      |_logs/
  2. Vamos criar a estrutura da instância 3307 e ajustar os direitos dela:
    mkdir 3307
    mkdir 3307/data
    mkdir 3307/logs
    chown -R mysql:mysql /mysql/3307
  3. Criaremos agora a estrutura padrão do banco pelo script contido na pasta mysql
    cd /mysql/mysql/scripts/
    ./mysql_install_db --user=mysql --basedir=/mysql/mysql --datadir=/mysql/3307/data/
  4. Lembrando que devemos estar atentos para receber os 2 OK’s abaixo:
    Installing MySQL system tables...
    OK
    Filling help tables...
    OK
  5. Feito isso, vamos ao nosso arquivo de configuração, o my.cnf, hoje ele está assim:
    [mysqld]
    datadir=/mysql/3306/data
    socket=/mysql/3306/mysql.sock
    user=mysql
    [mysqld_safe]
    log-error=/mysql/3306/logs/mysqld.log
    pid-file=/mysql/3306/mysqld.pid

    Agora vamos adicionar um novo grupo, chamado de [mysqld_multi] nele vamos colocar 3 itens:
    mysqld – caminho para o nosso binário mysql, sugiro aqui, colocar o caminho para o mysqld_safe
    mysqladmin – caminho para o binário mysqladmin, ele é utlizado para parar as instâncias
    E também vamos adicionar os grupos [mysqldN] que são semelhantes ao antigo [mysqld] onde ficarão os dados específicos de cada instância, no nosso caso, vamos subir o [mysqld1] e [mysqld2] ficando assim então o nosso my.cnf:

    [mysqld_multi]
    mysqld = /mysql/mysql/bin/mysqld_safe
    mysqladmin = /mysql/mysql/bin/mysqladmin
    [mysqld1]
    port = 3306
    datadir = /mysql/3306/data
    socket = /mysql/3306/mysql.sock
    log-error = /mysql/3306/logs/mysqld.log
    pid-file = /mysql/3306/mysqld.pid
    [mysqld2]
    port = 3307
    datadir = /mysql/3307/data
    socket = /mysql/3307/mysql.sock
    log-error = /mysql/3307/logs/mysqld.log
    pid-file = /mysql/3307/mysqld.pid
  6. Agora então, vamos a parte que interessa, subir as nossas instâncias, temos apenas que entrar na pasta onde estão os binários, chamar o mysqld_multi passar o arquivo de configuração e a opção desejada, neste caso o START :
    cd /mysql/mysql
    mysqld_multi --defaults-file=/mysql/my_rep.cnf start
    Pronto, se tudo deu certo devemos receber a mensagem abaixo:
    110511 07:57:10 mysqld_safe Logging to '/mysql/3306/logs/mysqld.log'.
    110511 07:57:10 mysqld_safe Starting mysqld daemon with databases from /mysql/3306/data
    110511 07:57:10 mysqld_safe Logging to '/mysql/3307/logs/mysqld.log'.
    110511 07:57:10 mysqld_safe Starting mysqld daemon with databases from /mysql/3307/data

    Lembrando que o mysqld_multi tem mais duas opções, uma delas é o report, que vamos digitar mysqld_multi --defaults-file=/mysql/my_rep.cnf report e ele vai nos dizer quais os grupos estão rodando:
    MySQL server from group: mysqld1 is running
    MySQL server from group: mysqld2 is running

    E a outra é a opção STOP, lembrando que ela utiliza o mysqladmin teremos que passar após o arquivo de configuração o nome de usuário e senha que tenha acesso para shutdown com as opções --user e --password neste caso, estou com o usuário root sem senha, então o comando ficará assim:
    mysqld_multi --defaults-file=/mysql/my_rep.cnf --user=root stop
    Teremos que receber a mensagem dizendo que o PID FILE foi encerado:
    110511 08:02:17 mysqld_safe mysqld from pid file /mysql/3306/mysqld.pid ended
    110511 08:02:17 mysqld_safe mysqld from pid file /mysql/3307/mysqld.pid ended
  7. lembrando que podemos especificar qual grupo estamos querendo fazer o manager, por exemplo, caso eu queira subir somente a instância especificada em [mysqld2] o comando ficaria assim:
    mysqld_multi --defaults-file=/mysql/my_rep.cnf start 2É isso aí pessoal, mais informações podem ser adquiridas na Documentação do MySQL , qualquer dúvida ou sugestão, comentem!!!

Instalando MySQL 5.5 Parte 1 – Uma unica instancia

Hoje vou ensinar como instalar um servidor MySQL de forma simples. Com apenas uma unica instância, na segunda parte deste artigo, vou ensinar a instalar varias instâncias do MySQL e controla-las através do mysqld_multi.

Para este tutorial estou utilizando:

    VMWare
    CentOS 5.6 - 64bits
    512MB RAM
    40GB DISCO
    Instalação sem interface gráfica, somente linha de comando

Dito isso, vamos ao que realmente interessa:

  1. Vamos criar a estrutura de diretórios que vamos trabalhar com nossa instalação do MySQL, para este tutorial vou instalar na raiz da partição:
    cd /
    mkdir mysql
    cd mysql
  2. Vamos ao site de Downloads do MySQL e baixar da ultima versão Community Server que hoje é a 5.5.11. Utilizaremos a compilação Linux Generic e buscar pelo pacote tar.gz da sua versão de sistema operacional:
    wget http://mysql.cce.usp.br/Downloads/MySQL-5.5/mysql-5.5.11-linux2.6-x86_64.tar.gz
  3. Uma vez baixado o pacote do MySQL, vamos agora descompactar o pacote com o comando baixado:
    tar -vzxf mysql-5.5.11-linux2.6-x86_64.tar.gz
  4. Agora vamos apenas ajustar o nome da pasta para algo mais legível:
    mv mysql-5.5.11-linux2.6-x86_64 core-5.5.11
  5. Feito isso criaremos um link simbólico, pois o MySQL nos exige que sua pasta seja nomeada exatamente mysql
    ln -s core-5.5.11 mysql
  6. Após, criaremos a estrutura de diretórios da nossa instância do MySQL:
    mkdir 3306
    mkdir 3306/data
    mkdir 3306/logs
  7. O próximo passo é criar os bancos de dados padrões do MySQL. Mas antes disso, temos que definir com qual usuário o MySQL vai rodar, como padrão, sempre criamos (caso ainda não existe) um usuário com o próprio nome MySQL, vamos lá:
    useradd mysql
    Com nosso usuário criado no sistema, vamos alterar as permissões das pastas do MySQL para este usuário:
    chown -R mysql:mysql /mysql/
  8. Vamos então, criar os bancos de dados padrões do MySQL, dentro da nossa pasta/link simbólico mysql temos uma série de pastas, uma delas chamada scripts, dentro dela temos um script que faz a criação da estrutura de banco de dados necessária para iniciarmos nossa instância do MySQL, para rodar este script, vamos passar 3 parâmetros:
    user – usuário proprietário das pastas que serão criadas
    basedir – pasta onde instalamos o nosso MySQL (fontes)
    datadir – pasta onde desejamos que seja criada a estrutura de banco de dados
    No nosso caso, o comando irá ficar assim:
    cd /mysql/mysql/scripts/
    ./mysql_install_db --user=mysql --basedir=/mysql/mysql --datadir=/mysql/3306/data/
    Vamos receber um retorno na tela, o que temos que nos atentar é para receber 2 OK’s no inicio do retorno:

    Installing MySQL system tables...
    OK
    Filling help tables...
    OK

  9. Agora vamos criar nosso arquivo de configurações o my.cnf, vamos configurar alguns parâmetros básicos para subir nossa instância:
    datadir – caminho para a pasta onde está localizado o nosso datadir
    socket – onde vamos salvar o unix socket
    user – usuário que o mysql vai utilizar para subir nossa instância e acessar os arquivos no disco
    log-error – local e nome do arquivo de logs (muito importante, pois nele que diagnosticamos maior parte dos problemas que acontecem no nosso servidor MySQL)
    pid-file – arquivo onde ficará o PID do MySQL

    Vamos então de fato criar nosso arquivo de configuração:
    vi /mysql/my.cnf
    O conteúdo do nosso arquivo deve ficar assim:
    [mysqld]
    datadir=/mysql/3306/data
    socket=/mysql/3306/mysql.sock
    user=mysql
    [mysqld_safe]
    log-error=/mysql/3306/logs/mysqld.log
    pid-file=/mysql/3306/mysqld.pid

  10. E finalmente, vamos subir nossa instância do MySQL:
    cd /mysql/mysql
    bin/mysqld_safe --defaults-file=/mysql/my.cnf &
  11. Pronto, agora nosso MySQL já está no ar, vamos apenas fazer mais um ajuste: Colocar a pasta do MySQL no PATH para que possamos acessa-lo de qualquer lugar do sistema:
    export PATH=$PATH:/mysql/mysql/bin/
  12. Para se conectar no banco, via TCP/IP usamos:
    mysql -u root -h127.0.0.1
    ou via UNIX socket
    mysql -u root --socket=/mysql/3306/mysql.sock

Lembrando que as boas práticas de segurança do MySQL nos pedem para executar 3 tarefas:

  1. Remover o banco de dados test, pois nesse banco de dados, todos os usuários tem acesso total, e pode ser que algum usuário crie uma procedure com um loop infinito para inserir dados até que seu disco fique 100% cheio
  2. Remover o usuário anonymous, por motivos óbitos
  3. Mudar a senha do user root, pois por padrão ela vem em branco

É isso aí pessoal, espero que tenham gostado, postem suas dúvidas e sugestões, e fiquem ligados, no próximo post, vou ensinar a subir N instâncias em um mesmo servidor, pratica esta muito usada para não super-dimensionar o hardware, Abraços.

Recuperar senha root MySQL

Caso você tenha perdido a senha de root do MySQL ou simplesmente não se lembra dela, não se preocupe, segue o passo a passo para você recupera-la:

  1. Parar o serviço do MySQL caso ele esteja de pé “/etc/init.d/mysql stop”
  2. Subir o servidor “skipando” a camada responsável por verificar os privilégios de usuários /usr/bin/mysqld_safe –skip-grant-tables & , lembrando que quando você subir o servidor com esta opção, ele irá aceitar que qualquer usuário se conecte ao banco de dados MySQL com acesso TOTAL a TODOS os bancos de dados então, para inibir que outras pessoas se conectem ao banco no período em que você estará fazendo a manutenção sugiro que você utilize o seguinte comando para subir o banco de dados /usr/bin/mysqld_safe –skip-grant-tables –skip-networking & ,neste caso, não serão aceitas conexões através do protocolo TCP/IP e lembrando que “/usr/bin/mysqld_safe” é a pasta onde o core do MySQL está instalado
  3. Conectar-se ao servidor com o comando mysql -u qualquer_coisa
  4. Digitar update mysql.user set Password=PASSWORD(‘new-password’) WHERE User=’root’
  5. Parar o banco com o comando mysqladmin -u qualquer_coisa shutdown e iniciar novamente com o comando padrão /usr/bin/mysqld_safe & ou ir diretamente pelo serviço com o comando /etc/init.d/mysql restart